Invista no RN

A economia do Rio Grande do Norte possui uma estrutura produtiva com forte participação do setor de Comércio e Serviços, que representa mais de dois terços do valor agregado do Estado. A indústria de transformação tem apenas 7% de participação no valor agregado, enquanto que a indústria extrativa e a agropecuária têm 8,4% e 3,7%, respectivamente, o que mostra o potencial industrial para o beneficiamento dos recursos naturais potiguares.

Estrutura Produtiva do Rio Grande do Norte - % do VAB – 2011
Fonte: IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística


A indústria extrativa se destaca devido à exploração de metais não-metálicos, petróleo e gás natural, que são vendidos para fora do Estado com baixo valor agregado. O setor de serviços é o de maior participação e já representa quase um terço da agregação de valor do Estado, com grande importância do turismo.

A agropecuária tem foco em fruticultura irrigada, especialmente a colheita de melões e melancias, produção de castanha de caju e cana-de-açúcar, pesca industrial e carcinicultura. A pecuária é dispersa e tem baixa produtividade, sem relevância na agregação de valor do Estado, mas responde por 82% do emprego formal do setor.

O Rio Grande do Norte tem um comércio exterior modesto e concentrado em produtos de baixo valor agregado, especialmente frutas e minerais, com destaque para “Melões frescos”, que contribuem com 21% do volume exportado.

A economia potiguar está em pleno desenvolvimento e oferece oportunidades em todos os tipos de setores. O mercado do Rio Grande do Norte tem inúmeros espaços a serem aproveitados com novos investimentos e um primeiro levantamento chegou a mais de 400 oportunidades nas seguintes áreas e regiões:

Veja mais: