Avaliações Preliminares de Investimentos

O Mais RN selecionou dois projetos para elaborar avaliações preliminares de investimento, por serem projetos âncora que têm alto potencial transformação, grande efeito multiplicador em atividades direta e indiretamente relacionadas.

Trata-se de avaliações indicativas que, caso o interesse pelo investimento se viabilize, deverão ser complementadas por análise mais detalhada e associada a projeto executivo de engenharia.

INTEGRAÇÃO FERROVIÁRIA DO ESTADO

Foi elaborada uma avaliação preliminar e indicativa para a implantação de sistema ferroviário no estado do Rio Grande do Norte, considerando quatro anos de obras de implantação e 35 anos de operação.

A opção pela integração do estado foi definida em conjunto com a FIERN. Os trechos foram definidos a partir de estudo realizado anteriormente, mas algumas alterações foram propostas, com base na mudança de localização do porto no Litoral Norte para a região da Ponta dos Três Irmãos (município de São Bento do Norte).

Quatro trechos ferroviários foram modelados: Caicó – São Bento do Norte, Mossoró – Caicó – São Bento do Norte; Natal – Mossoró; e Natal – Macau. No total, serão restaurados 347 quilômetros da malha existente e construídos 356 quilômetros de novos trechos, o que representa um investimento total entre R$ 1 bilhão e R$ 3 bilhões, dependendo das especificações técnicas dos novos trechos.

Após diversas simulações, o projeto se mostrou viável so- mente sob cenários muito específicos.

Nota: ressalta-se que não foram consideradas, nesta primeira revisão, possíveis integrações com outros Estados.


POLO MINERO QUÍMICO

Foi elaborada uma avaliação preliminar e indicativa para a implantação de um polo industrial Minero Químico, considerando até três anos de obras de implantação e 20 anos de operação.

Além de ser um projeto âncora prioritário, a opção pelo estudo preliminar da viabilidade financeira de construção do Polo ocorreu em função da existência de uma indústria estabelecida de produção de sal no estado, que gera sinergias com o Polo, uma vez que produtos e subprodutos desta indústria servem como insumos para as operações de algumas unidades.

A concepção do Polo, suas unidades, insumos e produtos gerados foi baseada e m estudo técnico realizado anteriormente. Apartir desta concepção inicial, foi elaborada a modelagem financeira de cada grupo de unidades interligadas – PVC/Cloro/Soda; Magnésio Metálico; Bromo e Derivados; e Barrilha/Vidro/Sabão e a modelagem total do polo. Esta opção permite ao investidor decidir pela implementação do polo como um todo ou de apenas determinadas unidades industriais.

A análise preliminar indicou um investimento de aproximadamente US$ 2,6 bilhões.

Novamente, após diversas simulações, o projeto se mostrou viável somente sob cenários muito específicos.