Estado Eficiente e Instituições de Qualidade

O Rio Grande do Norte possui importantes desafios como a educação (já destacada em estratégia específica), as redes de serviços de saúde, a regulação ambiental, a celeridade e a qualidade do Judiciário, os investimentos públicos, a competitividade fiscal, a segurança pública, a mobilidade, a qualidade do espaço público, a habitabilidade e o ambiente urbano, entre outros.

No curto e no médio prazos, a estratégia fundamental é o equacionamento fiscal do Estado, visando ampliar sua capacidade de investimento e autonomia fiscal. Para tanto, será necessário aprimorar o controle das despesas, especialmente de pessoal, que tem tendência de crescimento e alto impacto nas contas do Estado.

Investimentos através de Menor Crescimento da Despesa Pública
Fonte: Elaboração Macroplan, 2014.

No médio e longo prazos, a estratégia volta-se para a melhoria de serviços públicos e dos indicadores de desenvolvimento.

Adicionalmente, por qualidade das instituições entende-se também o conjunto de regras sob as quais a sociedade se organiza, estando estas escritas ou não. Neste sentido, será necessário fortalecer o espírito de confiança entre os agentes econômicos, e destes com o setor público, bem como combater práticas rentistas na sociedade potiguar.

Nenhuma sociedade se torna próspera sem um Estado eficiente com bens e serviços públicos de qualidade.